22 de abril de 2011

SONETO DA PAIXÃO PERMANENTE


Por mais que a distância pareça grande
E a passagem do tempo nos divida
A paixão que guardo, a ti prometida,
Ao invés de reduzir, cresce e se expande.

Se eu pude compreender desde o começo
Que o laço a nos unir nos antecede,
Como ocultar-te meu querer, a sede
De encontrar a quem amo e não esqueço?

Assim como as águas, as estações,
O dia, a noite, o vai-e-vem dos astros,
Tudo tem sua duração. A semente

Gera ciclos sobre ciclos. As paixões
Nascem, vivem, morrem, sem deixar rastros.
Nossa paixão, no entanto, é permanente.

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...