5 de abril de 2011

JORNADA


Gira o tempo   

Somam-se rotas

Em ciclos de velas e dias. 

O mar, de sol a sol

É uma pátria de espumas

Em que o coração flutua.

(Mas o porto não se avista...)


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...