19 de janeiro de 2012

METADE DE MIM

O tempo todo eu
Luto em duas frentes

Metade de mim,
Previdente, teme
O próprio limite

Metade de mim,
Delirante, acende
Sua dinamite

A mesma alma em
Rumos diferentes


 Manoel Olavo

17 de janeiro de 2012

SEMIÓTICA VOTIVA

semiótica votiva
time is money
mais é lama lema
luz a mis claves
de vislumbre sina

absinto no céu
bólido de azul
sismo em cisco
anil triz colidia

antevê-la, fibra pálida
célula de espinha bífida
palavra cílio da Ilíada

entranha resplan-
dente criatura
vau de mito analítico
design do hiato

franja do peso morto
gineceu de pã aos
pés da deusa úmida
nua maré de amor
íntima fissura


Manoel Olavo

6 de janeiro de 2012

CACHOEIRA


Sob um céu
Espesso e rude
Desfiz os olhos
E me lembrei
Da infância

Fiz mais:
Lembrei da
Cachoeira

Fonte do alto
Batendo o
Corpo duro
Das pedras

Azul e luz
Fino vapor
De água
Cobrindo
O sol

A coluna líquida como
Um mastro de cristal

Minha alma
Fluindo
Por séculos
Sob as águas

Cachoeira:
Eu quis tê-la
Mas só pude lembrá-la

Meu Deus: será que as memórias morrem?

Manoel Olavo

4 de janeiro de 2012

MAR


Mar
Numa palavra
A armada se arrisca

Por cima do papel
Cruzando a fronteira

Um barco
Corta o vai-e-vem
Das velas latinas

O desenho
Da esquadra
Cresce no
Horizonte

Sabe você de onde vem o mar?
De onde partiu o navegante?

Sabe por que batem as ondas
Contra o cais das naus envelhecidas?

O manto de vapor
Encobre águas poderosas

Efeito da carne dividida
Entre a dimensão do mar
E a vontade de queimar numa pira ígnea

Chamas que vão para o alto
Além do ponto onde está a sentinela

Silenciar, calar a própria voz
Conter num lugar comum
O sopro da fala

Mas ela é súbita
É limite sonoro
Cala a todos que tentam
Desvendá-la, sem dizer
Por qual desvão escapa

Nem só de mar
Nem só de pira
Vive o homem

Ninguém
Fica comigo
Em busca de
Som e fúria

Na hora agá
Eu me desfaço
E morro, chama
Ígnea, pira na
Rota dos astros

Mas havia alguém
Havia alguém lá
Que me chamava

Homem é esse
Frágil cordão de fala


Manoel Olavo

1 de janeiro de 2012

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...