19 de janeiro de 2012

METADE DE MIM

O tempo todo eu
Luto em duas frentes

Metade de mim,
Previdente, teme
O próprio limite

Metade de mim,
Delirante, acende
Sua dinamite

A mesma alma em
Rumos diferentes


 Manoel Olavo

2 comentários:

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...