21 de fevereiro de 2012

SOL DE VERÃO

Órfãos da aldeia
Se engalfinham
A palavra cala

Só o corpo
Exposto no ar
Ora por nós

A multidão
Bronzeada
Desatina

Diante do show
Todos parados
Sob o sol

Não há mais
Descanso
À beira-mar

 
Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...