21 de fevereiro de 2012

SOL DE VERÃO

Órfãos da aldeia
Se engalfinham
A palavra cala

Só o corpo
Exposto no ar
Ora por nós

A multidão
Bronzeada
Desatina

Diante do show
Todos parados
Sob o sol

Não há mais
Descanso
À beira-mar

 
Manoel Olavo

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...