4 de março de 2012

RAIO COLORIDO


                                                 Sobre um quadro de Paul Klee

Outrora uma só cor:
Azul. Um tom aonde
O mar e o céu, acima,
Reúnem-se em camada.

Azul de lado a lado,
Rastro de imago, imenso
Veio d´água jorrando
Luz turquesa no dia.

De cima a baixo, o raio
Cai. Desfere seu golpe,
De cor corisco, em salva.
Vai e volta, zás, risca

Sua marca. Fatia
O azul em duas partes:
Numa, um homem cintila.
Noutra, o sol quente vela.

Um raio colorido
Separa o mundo em planos.
Acima o sol flutua
Abaixo o ser humano.


Manoel Olavo

Um comentário:

  1. de azuis partidos ou não, sua poesia sempre me encanta pot seus versos precisos!

    ResponderExcluir

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...