12 de abril de 2011

RENÚNCIA


Eu sou mais um
Mas viverei em muitos

Renuncio a mim
A esta confusão na sala

Esforço inicial para subir
E ver o sol nascer

Na vastidão
Das cenas desabitadas

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...