12 de abril de 2011

RENÚNCIA


Eu sou mais um
Mas viverei em muitos

Renuncio a mim
A esta confusão na sala

Esforço inicial para subir
E ver o sol nascer

Na vastidão
Das cenas desabitadas

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...