2 de dezembro de 2010

EDITO

Por ordem dum
Nobre caduceu
Senhor de terras
E de astros
Fica estipulada
A quantia
Destinada
À libertação
Da sua alma
Atormentada.
Aos herdeiros,
Legítimos ou
Admitidos,
Nada. Que
Vivam como
Puderem.

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...