8 de fevereiro de 2011

METAPOEMA II

                                                                       
                                                                    
                           Céu da minha alma:

                                Toda ordem

                            é um confinamento
                                                          
                             
                              Manoel Olavo                          
                                          
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...