28 de fevereiro de 2011

NA BORDA

Um gesto
Talvez mil
E nada toca
O centro do nome

Na borda
Ficamos nós:
Filhos do mar
Da água e do sal
Presos no deserto
Em busca de poesia

Comensais da palavra
Querendo a loucura
Das sensações

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...