2 de março de 2011

CEDO OU TARDE



Cedo ou tarde eu procuro o teu abraço
O teu alívio, afago, encantamento...
Tudo o que és me prende e eu me desfaço
Num toque de mão, em poesia e vento.

Cedo ou tarde, sem ti, eu perco o passo
Emparedado no mesmo momento.
O tempo só flui se tu passas. Vejo
Brilhar teu ser como um quinto elemento.

Cedo ou tarde volto ao passo parelho
Da estrada de tijolos amarelos.
São teus sapatos, belos e vermelhos

Que eu sigo nesta trilha de farelos.
Como a flor que segue o sol; como um espelho
Perante outro, em infinitos elos.

Manoel Olavo

3 comentários:

  1. cedo ou tarde é sempre tempo de ler a beleza que emana de tua poesia! abraços

    ResponderExcluir
  2. como será
    o caminho que farei
    durante esta viagem ?

    ResponderExcluir

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...