15 de março de 2011

MANHÃ DE SOL


A mão aperta o travesseiro
Lágrimas escorrem no lençol

Lá fora, o sol arde
Um pássaro pia
Algumas vezes

Talvez a claridade
Venha nomear a
Indiferença das coisas

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...