14 de março de 2011

PERMANÊNCIA

De sol a sol
Continua a
Evasiva alma
Condenada

Migalhas
Do possível
Esplêndida
Composição

Vida afinal
Reduzida
À soma de
Despedidas

A dor é um vício
A ela sempre
Voltas, cicatriz
Na pele, endereço

O tempo urge
A ilusão acaba
Noite após dia
Caem máscaras

Amor, os olhos
Se movem
Sob pálpebras
Fechadas

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...