20 de abril de 2010

ANATOMIA

Eu era um
Você o outro
Do contrário amor
Que não nos quis

Dois beijos loucos
O gosto grená
Da sua greta
Foi só

Há casos assim
Meu pior
Pelo avesso

Duas almas más
Os destroços
Das nossas vidas

Você selenita
Sem nome nem paz
Somente imaginada

Eu marciano
Sem hora pra dormir
Nem maturidade

Juntos fizemos
A anatomia
Da nossa danação

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feixes do raio De luz no vidro Encantado Única Maneira de ver A paixão secreta Atrás do silêncio dela Pele Pele clara ar...