13 de dezembro de 2009

NO AR


Desfeito em ti
Tornei-me parte
Do mundo, das
Forças colossais
Do céu, do mar
Do chão, do vento...
Eu as ouço, elas
Estão aqui comigo

Sabedor de ti
Mesmo sem vê-la
Eu posso te falar
Onde tudo é silêncio

Eu sei de orvalhos, firmamentos
Pássaros azuis, anjos dormindo

Capturo sinais
Ouço a tua voz sonhando
Posso decifrar enigmas
E te querer só minha

Desejo, meu amor
Te contar histórias:
(Somos os emissários delas)
Tu e eu, leves, no ar
Entre vagas de astros


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feixes do raio De luz no vidro Encantado Única Maneira de ver A paixão secreta Atrás do silêncio dela Pele Pele clara ar...