27 de setembro de 2011

LOGO VOCÊ

Logo você

Sem nada
Pra contar

Sem grana
Pra gastar

Sem verso
Pra dizer

Logo você

Sem mulher
Pra seduzir

Sem corpo
Pra destruir

Sem alma
Pra perder

Logo você

O último
Dos reis

Ou o primeiro
Dos párias

Num rastro
De lama

Feito besouro
Na bosta

Logo você

Não sabe mais
Do que gosta

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feixes do raio De luz no vidro Encantado Única Maneira de ver A paixão secreta Atrás do silêncio dela Pele Pele clara ar...