4 de setembro de 2011

AMANHECER


Olhei a praça
Quando a luz
Descortinava
Uma manhã
Clara e aturdida

Pude nascer
Junto do vento
Que em tudo
Soprava morno

Vi a paisagem
Que acordava
Viva e sonora

Cães passeando
Com seus donos
Ao raiar do dia

Meu coração
Flagrou a luz
E se sentiu
Em muitos

Estava dentro
E estava fora
Da manhã de sol
Que ali nascia

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...