6 de maio de 2012

NORMA



Norma me falou que viria às sete

Era incapaz de um sorriso óbvio

Beleza louçã

Corpo de marfim na beira da calçada

Beijava confortavelmente

Sempre às voltas com uma

Interminável trança


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...