6 de maio de 2012

ELIZÂNGELA



Elizângela

Amava Rilke e Maiakóvski

Lia obstinadamente

Explodia a menor contrariedade

Muito séria e dedicada

Tinha medo do que

Os homens podiam lhe fazer


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...