18 de janeiro de 2010

MÉTODO

Amar o abissal
Amar o incriado

Buscar o perdido
O raro, o extinto

É um modo sutil
De deter a carne

De ficar a sós
No jardim das coisas

De tirar poesia
De dentro delas

De encontrar beleza
Onde nada havia


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...