10 de abril de 2012

ANDARILHO


Um erro ancestral
Prende os meus pés à terra

Andarilho
À cata do que não vê

Adiante
O sol poente
O tempo

E o peso das palavras
Com que tento me salvar


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...