4 de dezembro de 2013

ASSIM TODA LOUCURA

Assim toda loucura fica proibida
Toda paixão fica controlada
Toda ilusão será perdida
E os deslizes serão relatados
A quem possa deter os descontentes
Assim todo dia há de ser brando
Serenamente pouco a pouco
Cada coisa em seu lugar um dia por vez
Assim viveremos em paz livres de excessos
Livres da vertigem de altura num tal cansaço
De existir que não surpreende descobrir que
Os sonhos estão suspensos até segunda ordem

Manoel Olavo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...