10 de maio de 2013

PINTURA RUPESTRE




Meus olhos tateiam a figura
Pintada na parede de pedra,
A primeira imagem pintada,
Na luz bruxuleante de uma
Caverna oculta. O antílope,
O bisão, o cavalo, o contorno
Da mão, a Vênus de Willendorf.
Meu olhos exploram o começo
De tudo, a raiz do mistério,
Quando os homens fizeram
Falar um mundo que lhes
Intimidava com o seu silêncio. 


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...