15 de julho de 2012

SEM VOCÊ


Sem você
Eu me vi só
O rosto
            [partido ao meio

Dor:
Como
Suportá-la?

Você
Que eu amei
Devolva a
Metade roubada
De mim

Preciso juntar
Minha alma ao corpo

Mais tarde
Inteiro e recriado
Hei de domar
O inferno das palavras
As pétalas pisadas
A sede de amar

Claro que
Pode ser sem você 


Manoel Olavo
        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POEMA DO RAIO DE LUZ

Um poema Feito de feixes De raio de luz No vidro encantado Única Maneira de ver A paixão silenciosa Atrás do segredo dela Pele Pe...