15 de julho de 2012

SEM VOCÊ


Sem você
Eu me vi só
O rosto
            [partido ao meio

Dor:
Como
Suportá-la?

Você
Que eu amei
Devolva a
Metade roubada
De mim

Preciso juntar
Minha alma ao corpo

Mais tarde
Inteiro e recriado
Hei de domar
O inferno das palavras
As pétalas pisadas
A sede de amar

Claro que
Pode ser sem você 


Manoel Olavo
        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

UM POEMA DE AMOR

São bocas e olhos e auras e gotas E pernas entrelaçadas Fluente transbordante Minha alma brilha Nesta nova cor que vem da tua ...