22 de outubro de 2010

SABER QUE TE AMO

É como um sonho desigual saber que te amo

Que, embora longe, minha alma desbrava a tua

É como um sonho singular de mãos dadas

Saber que me vejo em ti, és a medida

Que veio pra conter minha solidão.


Eu posso te sonhar além de espaço e tempo

Em brumas consentidas na luz de vidro

Em nuvens irreais de matéria minha e tua

E fazer amor como fazem os deuses...

E singrar-te como nau cortando a vaga...


Eu quero te beijar te tomar ao sol

Prometer amor à aurora levantada

Amar-te colossal enquanto o céu se enche

De gaivotas a mostrar para o universo

Um amor ao largo mas absoluto.


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...