1 de agosto de 2014

ODE EM FASES



Poesia, eu te sabia
Flor, dor ou até fezes.
Agora eu sei: és fases.
Falar de ti, quem deve?

Amor perdido, corpo
Nu, vã filosofia:
São só modos de usar.
Por que serão poesia?

Por isso eu te segui
Mas estavas na frente
Véu de palavra dada
Céu de pássaro ausente.

Não te conduz a rosa
Tampouco o fingimento.
A mais bela nasceu
Do meu esquecimento.

Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AMOR, TUA VOZ CARREGA O SOM DA ETERNIDADE

No mais belo dos dias Amor, sei que virás Estrela branca e tátil Viajante revelada No rumo do infinito Opala que se mov...