25 de dezembro de 2016

FALA


O sopro da fala é súbito
Golpe de vento no acaso

Derruba todos que tentam
Capturá-lo, depois escapa

Ninguém sabe porque
Se dá o som ou a fúria

Ninguém sabe deter
O jogo atrás da cena

O homem é frágil fala
Perseguindo a coisa


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...