23 de junho de 2013

POR TI


Por ti cruzei paredes de cristal

Juntei o tempo no instante

Por ti vi mitos desiguais

Dividi as águas

Nossa carne

O mesmo mapa

Por ti tudo canta

Suave som

De passagem

E abandono

Vida raiz dádiva

Por ti é noite em nós

Nós feitos dela

Eu, único em ti,

Caio a teus pés

E digo: sou o punhal

Teu deus capturado


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AMOR, TUA VOZ CARREGA O SOM DA ETERNIDADE

No mais belo dos dias Amor, sei que virás Estrela branca e tátil Viajante revelada No rumo do infinito Opala que se mov...