23 de junho de 2013

POR TI


Por ti cruzei paredes de cristal

Juntei o tempo no instante

Por ti vi mitos desiguais

Dividi as águas

Nossa carne

O mesmo mapa

Por ti tudo canta

Suave som

De passagem

E abandono

Vida raiz dádiva

Por ti é noite em nós

Nós feitos dela

Eu, único em ti,

Caio a teus pés

E digo: sou o punhal

Teu deus capturado


Manoel Olavo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MARAVILHAS

Antes de morrer Rejuvenesça! Inato, ligeiro Seja sempre seu O primeiro sonho O último grito O imprevisto fato. A capa de cristal Par...